Biodiversidade

A diversidade biológica ou biodiversidade se relaciona com a variedade de vida do Planeta Terra. Este conceito inclui a variedade genética dentro das populações e espécies, a flora, a fauna e os microrganismos, além da variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas e as comunidades, habitats e ecossistemas formados por estes organismos.

Biodiversidade refere-se tanto ao número (riqueza) de diferentes categorias biológicas quanto à abundância relativa (equitabilidade) dessas categorias. É assim, a totalidade dos recursos vivos ou biológicos, e dos recursos genéticos, e seus componentes.

A Biodiversidade é uma das propriedades fundamentais da natureza, responsável pelo equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas, e fonte de imenso potencial de uso econômico. É a base das atividades agrícolas, pecuárias, pesqueiras e florestais e, também, a base para a estratégica indústria da biotecnologia.

As funções ecológicas desempenhadas pela biodiversidade são ainda pouco compreendidas, muito embora se considere que ela seja responsável pelos processos naturais e produtos fornecidos pelos ecossistemas e espécies que sustentam outras formas de vida e modificam a biosfera, tornando-a apropriada e segura para a vida. A diversidade biológica possui, além de seu valor intrínseco, valor ecológico, genético, social, econômico, científico, educacional, cultural, recreativo e estético. Com tamanha importância, é preciso evitar a perda da biodiversidade.

Assim, pode-se afirmar que a biodiversidade tem um valor intrínseco ecológico, genético, social, econômico, científico, educacional, cultural, recreativo e estético.
Não de sabe ao certo quantas espécies diferentes de plantas e animais existem no planeta. As estimativas variam de 10 a 50 milhões, sendo que deste total apenas 1,5 milhão foram classificadas pelos cientistas, até hoje.

Na ECO-92, realizada no Rio de Janeiro foi elaborado o documento "Estratégia Global para a Biodiversidade", aprovado pela ONU e por entidades ambientais. Esse documento contém 85 propostas para a preservação da diversidade biológica no planeta e um plano para o uso sustentado dos recursos. O conceito de biodiversidade foi definido como: "a variabilidade de organismos vivos de todas as origens, compreendendo, dentre outros, os ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos de que fazem parte; compreendendo ainda a diversidade dentro de espécies, entre espécies e de ecossistemas."

O Brasil é um dos países mais ricos em biodiversidade, o que em muito se deve por abrigar cerca de 28% do que resta das florestas tropicais.
Em solo brasileiro estão seis ecossistemas, entre eles a maior floresta tropical do mundo, a Amazônica. Em cada quarteirão da mata encontram-se de 100 a 300 espécies de plantas. Um gigantesco laboratório da Natureza que garante ao Brasil participar do time de países megadiversos - que são aqueles que detêm as maiores e mais preservadas diversidades biológicas da Terra.

Para completar nossa multiplicidade, em terras brasileiras vivem pessoas dos cinco continentes que se uniram aos mais de 350 diferentes povos indígenas que aqui estavam quando o Brasil foi descoberto.

Grande parte desses imigrantes escolheu morar na costa, de frente para o mar. Assim, grandes cidades se formaram no litoral e, por muitos séculos, nós esquecemos um pouco do nosso interior. Lá, a alma do povo brasileiro se guardou. Ao lado da mata e do sertão, as chamadas populações tradicionais puderam cultivar a terra como quem cultiva a si mesmo.

É com esses homens e mulheres - que sempre viveram da terra e com a terra - que temos muito que aprender. Aprender os segredos das plantas, aprender a respeitar os animais e a conservar o que ainda resta do patrimônio natural brasileiro.

Cerrado

O cerrado é segundo maior bioma do Brasil, abrange uma área de 1,9 milhões de quilômetros quadrados em 12 estados e no Distrito Federal, onde está cerca de um terço da biodiversidade do Brasil e 5% da fauna e flora mundiais. Um dos principais biomas do país e o característico da região de Bauru, o cerrado sempre está associado a referências no superlativo, inclusive quando se fala em desmatamento, infelizmente.

O bioma que já compreendeu 2 milhões de km² do território nacional, hoje se estende por apenas 20% dessa área. A dinâmica da ocupação humana, da expansão agropecuária e do desenvolvimento urbano-industrial também destruiu grande parte do bioma, que possui importantes plantas e animais da diversidade nacional, como tamanduá, lobo-guará, ema, pequi, ipê-amarelo, timburi.

Mata Atlântica

Nesse importante conjunto florestal se concentram 185 das 265 espécies de animais ameaçados de extinção.no Brasil, ou seja, cerca de 70% do total deles. Das 17 espécies de primatas da floresta atlântica 9 lhe são endêmicas e 10 estão seriamente ameaçadas.Na Mata Atlântica são conhecidas 130 espécies de mamíferos, 51 delas endêmicas, 23 espécies de marsupiais; 57 espécies de roedores; 160 espécies de aves endêmicas; 183 espécies de anfíbios, 92% delas endêmicas; 143 espécies de répteis.

Hoje restam da Mata Atlântica menos de 4% das florestas primitivas e outros 4% das secundárias. Associados em complemento à Mata existem uma série de ecossistemas como os manguezais, as florestas de restinga, o jundu da beira das praias e campos de altitude, também fortemente pressionados pela ocupação humana.

A riqueza de vida no Brasil vem sendo seriamente ameaçada. A Mata Atlântica, que se alongava por toda a costa, hoje está reduzida a menos de 7% de seu tamanho original. Do Cerrado resta um pouco mais da metade, e a Amazônia também vem perdendo rapidamente suas florestas.

Links:
www.bdt.org.br

www.biodiversitas.org.br

www.biota.sp.gov.br

www.conservation.org.br

www.wwf.org.br

AV CRUZEIRO DO SUL, 26-40
JD CAROLINA - BAURU
17032-000
14 3281-2633(Vidágua)
Email: contatovidagua@gmail.com